Home Pastorais Pastoral do Batismo

Pastoral do Batismo

01. A Celebração do Batismo na comunidade seja sempre uma oportunidade de renovação do compromisso Cristão para todos os que dele participam, principalmente para os pais e padrinhos.

02. Somente haja admissão ao Batismo quando houver suficiente garantia de educação do novo cristão na fé da Igreja Católica. Esse, aliás, deve ser também o critério para a admissão ao Batismo de filhos de mães solteiras ou filhos de casais irregulares. Quando houver essa suficiente garantia, não se deve negar o Batismo. Por outro lado, não se admitam ao batismo filhos de casais irregulares que, embora podendo, não querem se casar na Igreja.
03. A Celebração do Batismo se realize normalmente no local de encontro da comunidade de fé, e não em casas particulares, sítios, clubes, fazendas, etc.

04 . Haja na Paróquia uma intensa conscientização quanto ao sentido do Batismo na própria comunidade. A transferência deve ser dada pelo pároco por escrito e por motivo razoável.

05. Para o Batismo de menores, sejam os pais e padrinhos devidamente preparados. Que em nenhuma paróquia se batize sem preparação. Essa preparação deve ser tão esmerada, que possa ser reconhecida e aceita pelas demais paróquias da Diocese.

06. As pessoas que são responsáveis pela preparação para o Batismo tenham uma vida autenticamente cristã e sejam bem preparadas para essa função.

07. Os encontros de preparação não sejam mera formalidade. Não se justifica uma preparação apenas na hora de Batismo.

08. Crianças, acima de 07 anos de idade sejam devidamente preparadas pela catequese paroquial. Com mais razão, os jovens e adultos.

09. Para o Batismo de menores de 15 anos, seja exigida a presença dos pais ou responsáveis.

10. O Batismo de jovens e adultos seja revestido de particular solenidade. Tanto quanto possível, procure-se restaurar as etapas de iniciação próprias do começo do Cristianismo.

11. O Batismo de adultos, para efeito de celebração do matrimônio, só seja aceito quando houver uma opção bastante consciente pela fé cristã e com a devida preparação que se exige para qualquer adulto que deseje o Batismo.

12. No caso de pessoas advindas de outras Igrejas cristãs, sigam-se os critérios de validade do Batismo, admitidos pela Igreja Católica.

13 . As comunidades sejam orientadas quanto ao Batismo de emergência. Neste caso, em se tratando de jovens e adultos, o Batismo fica condicionado às disposições anteriormente demonstradas pelos mesmos.

14 . A Celebração do Batismo não seja ocasião para acentuar as diferenças sociais e econômicas, mas um compromisso de fé.

15. De acordo com o Código de Direito Canônico, são as seguintes as condições para ser padrinho: Ter ao menos 16 anos completos, ser católico, 1ª eucaristia, crismado e levar uma vida de acordo com a fé e o encargo que vai assumir.

16 . Estas normas e orientações sejam vistas sempre na perspectiva de favorecer a pastoral de conjunto dentro da Diocese.

1- Normas Regionais:

1. Quanto à preparação (mínimo exigido: 4 horas de duração):

a) Os pais, mães, padrinhos e madrinhas deverão fazê-la.

b) Pede-se que os pais e mães a façam na comunidade onde moram; possíveis transferências só com a autorização da Paróquia.

c) Receberá o comprovante quem participar do tempo integral. Daí a necessidade da pontualidade.

d) Poderá ser feita antes do nascimento da criança.

e) Deverá fazer a inscrição com antecedência.

f) A preparação terá validade de dois anos, procure estar sempre atualizado!

2- Quanto à Transferência:

a) O Batismo é um compromisso comunitário, segundo o qual a criança e sua família são chamados a vivenciar a fé com sua participação na comunidade e paróquia onde residem. Por isso, seria melhor que não houvesse transferência.

b) Entre as Paróquias do regional III o comprovante do CURSO DE BATISMO vale como transferência.

c) Em caso de necessidade de Batizar fora da Região III, peça com antecedência a transferência ao Padre.

3- Quanto à Celebração do Batismo:

a) Para fazer a inscrição do Batismo devem ser levados: a certidão de nascimento da criança, comprovante do curso de preparação dos pais (ou responsáveis) e dos padrinhos.

b) No dia e horário da celebração a presença dos pais (ou responsáveis) é indispensável.

4- Quanto aos Padrinhos e Madrinhas

a) Os padrinhos e madrinhas, na medida do possível, devem fazer a preparação na Paróquia onde moram.

b) Sejam pessoas que participam da Igreja e consigam ajudar na educação da fé da criança.

c) Estejam presentes na vida da criança, ou seja, não residam longe dela.

d) Sejam católicos praticantes, batizados, 1ª eucaristia, crismados e vivam honestamente.

e) Tenham completado 16 anos.

f) Não seja de outra religião.

g) Os padrinhos devem participar da comunidade e, sendo casados, que tenham recebido as bênçãos do Matrimônio-sacramento.

h) d) Pessoas não casadas, mas ajuntadas, mesmo com as melhores intenções, não poderão ser padrinhos. Neste caso, não é suficiente participar da comunidade. Nos casos mais agudos de difícil solução, resolva o pároco.

5- Quanto aos Pais

a) Os pais que querem batizar seus filhos devem ser católicos, praticantes da fé cristã e unidos pelo sacramento do matrimônio.

b) Os pais não casados, mas em condição de se casar na Igreja, devem regularizar a sua situação antes do Batismo do filho. Cuidado para não acontecer um casamento somente com o objetivo de conseguir o Batismo!

c) As pessoas que vivem juntas e não querem se casar, embora possam, e dizem ainda que freqüentam a Igreja, não podem batizar seus filhos. Como conciliar a contradição, se querem o Sacramento para os filhos e não querem para si mesmos?

6- Algumas Situações Delicadas

a) Os pais casados na Igreja, mas que não são praticantes; as pessoas que não são casadas na Igreja e vivem juntas; as mães e pais solteiros; os casais separados; os casais que estão com problemas pessoais; deverão conversar com o padre, antes de fazer a inscrição para a preparação. Membros da equipe de preparação para o Batismo poderão fazer uma visita à casa para maiores esclarecimentos quanto às reais condições necessárias para se celebrar o Batismo.

7- Dízimo

a) Algumas Paróquias utilizam espórtulas, outras a aboliram valorizando o sistema do Dízimo. A Igreja assume a exigência bíblico-comunitária do compromisso com o Dízimo. Caso a pessoa não seja dizimista, insiste-se que assuma conscientemente esse compromisso. O dízimo é uma oferta livre e consciente. Tosos são chamados a essa partilha, a ser dizimista. Isto vale para pais, mães, padrinhos e madrinhas, que são convidados a procurar a pastoral do dízimo em sua comunidade, a fim de se tornarem dizimistas, caso ainda não o sejam.

8- Idade

a) Numa família católica praticante é costume batizar crianças logo após o seu nascimento. Porém, quando a criança completa sete anos, nossa orientação é a seguinte: que ela seja preparada para o Batismo e a Primeira eucaristia na catequese. Caso algum jovem ou adulto não tenha sido batizado, deverá se preparar para o Batismo, Crisma e Eucaristia no catecumenato ou preparação para a Crisma.

9- Todos são Batizados?

a) A Paróquia não tem de negar o Batismo a ninguém. Preocupa-se com a segurança da educação na fé daqueles que serão batizados. O Batismo é compromisso com Deus, a Igreja e a comunidade.

2- Normas Paroquiais

2.1-A inscrição para o Curso do Batismo será feita apenas na Secretaria Paroquial, apenas com autorização do pároco poderá ser feita em outro local.

2.2-Essas Orientações são válidas apenas para a Pastoral do Batismo da Paróquia Nossa Senhora Aparecida – Ipatinga, obedecendo as Orientações da Igreja Católica Apostólica Romana e em comunhão com as orientações do Livro Caminhada da Diocese de Itabira/Coronel Fabriciano.

3- Da Validade das Conclusões

3.1-As presentes conclusões entrarão em vigor em primeiro de Janeiro de 2009 e só poderão ser modificadas em nova Assembléia Paroquial a ser convocada para tal finalidade, que conte com a participação da Coordenação Paroquial da Pastoral do Batismo, o Assessor Espiritual, dois terços dos coordenadores comunitários e da Equipe de Assessores da Paróquia Nossa Senhora Aparecida.

3.2-Estas Orientações derrogam as anteriores até então vigentes.

Esperamos que o sacramento do Batismo seja melhor conhecido e assumido, para maior glória d`Aquele que disse: “Ide, pois, ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo o que eu vos mandei. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo” (Mt28,19-20).